Guilherme de Mello: Novos apontamentos biográficos

Guilherme de Mello, autor da primeira obra sobre a história da música brasileira publicada em 1908, é um nome pouco lembrado atualmente. Na bibliografia da área há escassas informações relativas à biografia do autor, geralmente expostas em algumas linhas nos dicionários e enciclopédias de música. Seu livro, A musica no Brasil: desde os tempos coloniaes até o primeiro decenio da Republica, vem servindo como referência para obras afins, sendo citado pela maioria dos autores que se ocuparam do tema. Além da 1ª edição, sabe-se da existência de outras duas, uma de 1922 e outra póstuma, de 1947. Apesar disso, o livro tende a ser visto com certo desprezo— e considerado provinciano, sem critérios claros de periodização, além de apresentar discussões irrelevantes, inatuais e descontextualizadas. O autor costuma ser apontado pela falta de academicismo, por emitir argumentos contraditórios e de pouco embasamento, por ocupar-se de temas de relevância questionável no contexto nacional e, ainda, pela imparcialidade nos julgamentos de valor. Há, portanto, muitas críticas a Guilherme de Mello, mas não há estudo detalhado publicado para elucidar as questões referidas a partir de uma base teórica sólida. A proposta deste artigo é apresentar novos apontamentos acerca do autor, obtidos através de pesquisas arquivísticas em instituições e acervos particulares relacionados a Mello. A pesquisa apresenta caráter qualitativo, e utiliza-se principalmente de métodos da arquivologia e da história, disciplinas auxiliares à musicologia. Como resultado, obteve-se um estudo inédito sobre a biografia de Guilherme de Mello, o que poderá subsidiar novas discussões sobre o autor e o livro A música no Brasil.