“Una voce poco fa”: A influência do bel canto e da ópera italiana na formação dos cantores líricos da Rádio Gazeta (São Paulo/Brasil) entre 1950 e 1960

Raras foram as experiências onde a indústria cultural, com as novas tecnologias de informação e com todos os seus recursos, conseguiu integrar em suas programações elementos musicais tão variados e de alta qualidade artística, como foi a da Rádio Gazeta de São Paulo (Adorno, 1973). A Rádio Gazeta (São Paulo), hoje pertencente à Fundação Casper Líbero, significou, para muitos iniciantes do canto lírico das décadas de 1950 e 1960, a intensificação da consolidação de um mercado musical internacional da música erudita latino americana. Através de sua produção e difusão artística dos programas de ópera (especialmente as Cortinas Líricas e a Soirée de Gala), configurou-se como um espaço de formação para a consolidação profissional de cantores, sendo um lugar por excelência da transmissão de saberes musicais operísticos, como a difusão da técnica do bel canto no Brasil (Coli, 2006 e 2010; Guerrini, 2002; Menger, 2006, Pereira, 2005; Ortiz, 2006). Por meio do método biográfico e histórias de vida de cantores líricos da Rádio Gazeta, damos especial importância a soprano Niza de Castro Tank, que além de ter iniciado sua carreia na Rádio Gazeta, atuou fortemente no campo pedagógico brasileiro, como exemplo da “perfeição” artística na estética/vocal operística italiana, forjada em um contexto brasileiro. Salientamos, neste trabalho, três aspectos da produção musical operística radiofônica para o ambiente social/cultural musical brasileiro: 1) a difusão da música erudita em massa, contribuindo de forma decisiva para a formação de um “gosto musical”; 2) a consolidação e a gestão de uma verdadeira “escola do bel canto no Brasil”; 3) a profissionalização e a ascensão das carreiras de muitos cantores líricos brasileiros de prestígio, por meio de uma moderna forma de mecenato de artistas (Ortiz, 1996; Menger, 2005; Belardi, 1986, Valente & Coli, 2014).